Como a Embrapa cuida da nossa erva-mate?

l
22 de julho de 2022
embrapa

A Embrapa tem papel estratégico para o agronegócio brasileiro, mas, como sua atuação contribui para o cultivo da erva-mate?

O Brasil é um país reconhecido por sua potencialidade agrícola e pecuarista, ele consegue manter esse status devido ao trabalho de pesquisadores e instituições.

A erva-mate é um dos produtos agrícolas que o país exporta, para entrar em mercados exigentes como o europeu e norte-americano, ele precisa atender altos padrões de qualidade.

E como a Embrapa participa desse processo? Entenda a seguir nesse artigo!

Embrapa: Qual a sua responsabilidade?

A Embrapa é responsável por manter a comunicação entre os produtores rurais e as instituições científicas, posteriormente, apresenta todo resultado desse contato para a comunidade como um todo.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária existe desde a década de 70 e é vinculada ao Ministério da Agricultura, que estimula o desenvolvimento de técnicas e tecnologias voltadas ao agronegócio.

Dois pilares norteiam o trabalho da instituição:

  • Garantir a segurança alimentar da nação
  • Manter o país como referência mundial na produção de alimentos.

Esses objetivos são guiados também por medidas sustentáveis.

É dessa forma, que este órgão pensa suas estratégias para o cultivo da erva-mate, pois considera a parte histórico-cultural desse vegetal, sem fugir da questão econômica.

No caso do mate, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária considera todo o contexto que envolve as tradições do Chimarrão e do Tereré, por exemplo.

O “Ouro Verde”, como também já foi conhecido o mate, tem tentado retomar seu espaço nas economias dos estados da região Sul e Centro-Oeste.

Durante muito tempo sofreu com a falta de investimentos técnicos e tecnológicos, essa recuperação, em grande parte, tem sido estimulada pela exportação.

O consumo crescente da erva-mate nos Estados Unidos é um sinal disso.

As tradições que envolvem o Chimarrão e o Tereré são outras impulsionadoras do cultivo, o incentivo de atividades culturais, por exemplo, faz com que mais pessoas apreciem o sabor dessas bebidas.

embrapa

Tecnologias para a erva-mate

Para que os produtores brasileiros sejam assertivos na produção da erva-mate, essa instituição disponibiliza o Programa de Transferência de Tecnologia.

O intuito é mostrar para o agricultor estratégias atuais que possibilitam a melhor forma de cultivar a matéria-prima do Tereré e do Chimarrão.

A instituição têm 3 modalidades para viabilizar isso:

  • TT (Transferência de Tecnologia) – Mostra os meios para dinamizar o processo de cultivo, sem esquecer de fatores como a interação com outros agentes do mercado
  • IC (Intercâmbio de Conhecimento) – Se baseia na união das novidades tecnológicas com os conhecimentos tradicionais. Respeitam-se os valores culturais de cada região
  • CC (Construção Coletiva do Conhecimento) – Consiste na interação, porém, o diálogo aqui é com outros produtores do lugar, por exemplo. Junta-se toda a experiência positiva de cada propriedade, em prol das melhorias nas lavouras.

A partir dessas estratégias os agricultores sempre renovam os espécimes, que servem de matéria-prima para chás, energéticos, etc.

Hoje a erva-mate não se resume à produção de bebida, ela dá vida a cosméticos, itens de limpeza e outros produtos de saúde e bem-estar.

A colaboração da Embrapa é fundamental nesse processo com sua expertise a tradição e as inovações seguem juntas para desenvolver os negócios em torno da erva-mate.

Confira opções de erva-mate na nossa loja, clique aqui para saber mais!

Quer mais informações sobre erva-mate? Considere acompanhar o nosso blog!

Comentários

Leia também

Cadastre-se e receba conteúdo VIP! 

13 + 2 =